SESC Amapá realiza vernissage sobre o reconhecimento e influências negras na Amazônia

Com entrada gratuita, a exposição fotográfica proporciona o debate das dificuldades da circulação de obras de arte pela região Norte.

SESC Amapá realiza vernissage sobre o reconhecimento e influências negras na Amazônia
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Em continuidade ao projeto Amazônia das Artes, o SESC Amapá realiza a partir do dia 04 de setembro, às 19h, a Exposição (RE) conhecendo a Amazônia Negra: Povos, Costumes e Influências negras na floresta, da artista Marcela Bomfim (Porto Velho-RO). A entrada será gratuita, sendo a visitação pública de 04 de setembro a 04 de outubro de 2019, de segunda a sexta das 9h às 11h e das 14h às 17h.

A exposição fotográfica abrange a busca pessoal pelo (re) conhecimento da artista como mulher negra. As fotografias são frutos dessa busca pessoal, iniciada no ano de 2012, a partir das andanças da artista pela região amazônica e adjacências, registrando quilombos, comunidades tradicionais, movimentos culturais, tradicionais e patrimoniais, manifestações religiosas e outras movimentações ligadas à identidade dos descendentes de africanos que contribuíram tanto para o desenvolvimento da Amazônia, quanto para a formação da identidade e da memória da região.

Projeto Amazônia das Artes

O projeto Amazônia das Artes visa fomentar a produção artística amazônica e proporcionar a desconstrução de fronteiras geográficas e culturais que dificultam a circulação de obras de arte por esta região. O projeto difunde trabalhos nas linguagens de artes visuais, intervenção urbana/performance, artes cênicas, audiovisual, literatura e música.

 

Sobre a artista

Marcela Bonfim é fotógrafa, formada em Ciências Econômicas (2008) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), especialista em Direitos Humanos e Segurança Pública (2011) pela Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Desde 2012 se dedica à fotografia, tendo participado do projeto “Reabilitando pela Arte” (2014-15), realizado no sistema prisional de Rondônia; exposições coletivas pelo SESC-RO e Agência Amazônia Real (AM); publicações em revistas e periódicos do ICMBio, Governo de Rondônia (2013-2016), entidades do terceiro setor: Kanindé e Rio Terra; além da dedicação ao fotojornalismo pela Agência de Notícias Amazônia Real (desde 2015), e palestras de difusão sobre o projeto “Amazônia Negra” no Pará – Fotoativa, no Maranhão – Casa de Nhozinho, em Porto Velho – IFRO, Uniron, Museu Palácio da Memória, Tribunal de Justiça, Universidade de Rondônia-Departamento de Sociologia, SESC-RO e escolas públicas.

 

Visitação Pública: de 04 de setembro a 04 de outubro de 2019, de segunda a sexta das 9h às 11h e das 14h às 17h.

Informações e agendamentos de escolas: 3241-4440- Ramal 239.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp